Acervo Capixaba: Ramon Alvarado

Acervo
Capixaba
Ramon
Alvarado
Ramon Alvarado, de costas, opera uma câmera cinematográfica que está sob um tripé. Ao fundo, uma criança olha para o cineasta e seu equipamento e há outros dois homens à sua volta. Ambiente externo, com céu e árvores ao fundo. Fotógrafo(a) não identificado(a).
Cinema invisível: a trajetória e os filmes de Ramon Alvarado
Um dos precursores do cinema produzido no Espírito Santo, Ramon Alvarado nasceu em Recife (PE) em 1946 e se mudou com a família para Vitória (ES) no início da década de 1950. Ele participou ativamente do primeiro ciclo de curtas-metragens do Espírito Santo, atuando como diretor e diretor de fotografia. Neste período realizou, entre outros, Indecisão (1966), considerado o primeiro filme de ficção produzido em Vitória.
Em 1968, transferiu-se para o Rio de Janeiro, onde construiu a maior parte de sua trajetória como profissional de cinema. Nos anos seguintes realiza os curtas documentais O Mastro do Bino Santo (1971), filmado no Espírito Santo, Campanha Nacional de Escolas da Comunidade (1975), A Escola Nova (1975), Brincadeira dos Velhos Tempos? (1977), Os Votos de Frei Palácios (1980), Floresta da Tijuca (1980), Almas (1980) e O espaço da liberdade — Vilma Nöel (1987).
O projeto Acervo Capixaba — Ramon Alvarado é uma iniciativa de pesquisa, preservação, digitalização e difusão da obra de Ramon Alvarado. Neste site exibimos sete filmes do cineasta em novas cópias digitais e apresentamos um extenso material documental e iconográfico que pretende contextualizar as obras e a geração de realizadores da qual Alvarado faz parte. Também reúne um depoimento escrito pelo autor, um ensaio crítico sobre o curta O Mastro do Bino Santo e a sua filmografia ao longo de mais de 50 anos de carreira no cinema brasileiro.
Trecho de negativo de imagem no qual Ramon Alvarado opera câmera cinematográfica e olha através de seu visor. Imagem preto e branco. Fotógrafo(a) não identificado(a). Trecho de negativo de imagem no qual Ramon Alvarado opera câmera cinematográfica e olha através de seu visor. Imagem preto e branco. Fotógrafo(a) não identificado(a).

Filmes

Sobre

Ramon Alvarado participou ativamente do ciclo de Cinema Amador do Espírito Santo nos anos 1960, período no qual a produção cultural e artística no estado, assim como acontecia em todo o Brasil, se opunha à ditadura militar e tencionava representar, de forma narrativa e estética, os questionamentos e angústias de uma geração marcada pelo contexto repressor. Em 1966, Alvarado realizou Indecisão, possivelmente o primeiro curta-metragem de ficção filmado em Vitória. Infelizmente esta é uma das suas obras consideradas desaparecidas. Neste período, dirigiu ainda Cristo e o Cristo (1966), Cirurgia do Coração no Espírito Santo (1967) e O Pêndulo (1967); foi ainda diretor de fotografia dos curtas-metragens Palladium (Luiz Eduardo Lages, 1966), A Queda (Paulo Torre, 1966), Kaput (Paulo Torre, 1967), Alto a la Agresión (Antonio Carlos Neves, 1967) e Veia Partida (Antonio Carlos Neves, 1968), vencedor do prêmio de Melhor Fotografia no IV Festival de Cinema Amador JB/Mesbla, realizado no Rio de Janeiro em 1968. Por suas contribuições, Ramon Alvarado foi homenageado no I Festival de Cinema Amador Capixaba, realizado em Vitória no ano de 1967 por iniciativa do ator Milson Henriques.
A partir do início da década de 70, ao passo que desenvolvia sua carreira como técnico de cinema, sobretudo no departamento de fotografia de longas-metragens e filmes institucionais, Alvarado deu continuidade ao seu percurso como realizador. No campo do documentário, ocupou-se da cultura popular, das tradições e do patrimônio brasileiro, a partir de uma linguagem cinematográfica definida pela presença do registro em tom crítico, marcado por reflexões sociais, políticas e históricas. Obras como Floresta da Tijuca (1980), Brincadeira dos Velhos Tempos? (1977) e Almas (1980), realizadas no Rio de Janeiro, destacam-se nesse período. No Espírito Santo, Ramon Alvarado voltou-se para as paisagens e manifestações culturais tradicionais do estado, tematizadas em filmes como o já mencionado O Cristo e o Cristo (1966), documentário sobre a Festa da Penha no Espírito Santo; o curta Os Votos de Frei Palácios (1980), sobre a vida do religioso fundador do Convento da Penha, em Vila Velha; e ainda O Mastro do Bino Santo (1971), documentário que acompanha a festa da puxada e fincada do mastro de São Benedito, realizada anualmente no município de Serra.
A pesquisa realizada no âmbito do projeto envolveu o contato com diversos profissionais e instituições a nível estadual, nacional e internacional a fim de localizar materiais relacionados à obra de Ramon Alvarado, sobretudo cópias e negativos de seus filmes. Ainda, buscamos materiais conexos, tais como fotografias, textos e documentos de produção, os quais auxiliassem na contextualização de sua carreira e de sua trajetória como cineasta. Além dos materiais conexos digitalizados e das novas cópias digitais dos filmes, a partir da etapa de pesquisa elaboramos a filmografia completa do cineasta, disponível no site.
A constatação de que cópias em 16mm dos filmes Cirurgia do Coração no Espírito Santo (1967) e O Mastro do Bino Santo (1971), preservadas pelo próprio cineasta, poderiam ser os únicos materiais destes dois filmes foi determinante para o desenvolvimento do projeto. Exibido no X Festival de Brasília, em 1973, Mastro tem grande importância histórica ao retratar uma das mais importantes festas populares do estado num contexto de mudanças sócio-econômicas e estruturais da região onde ela é realizada. O congo, ritmo tipicamente capixaba, compõe a trilha sonora do curta-metragem. Nas imagens, os registros de importantes mestres de congo do estado e das pessoas em procissão, cantando e dançando durante a festividade, se misturam a imagens dos trabalhadores envolvidos nas obras de urbanização e expansão da cidade, como a construção do complexo siderúrgico no Porto de Tubarão e da BR 101, rodovia que corta o município.
Além de O Mastro do Bino Santo, foram produzidas novas cópias de Cirurgia do Coração no Espírito Santo (1967), escaneado a partir do único material existente, preservado pelo diretor; Floresta da Tijuca (1980) e A Escola Nova (1975), digitalizados a partir dos respectivos negativos de imagem depositados na Cinemateca do MAM (RJ); e O Espaço da Liberdade - Vilma Nöel (1987), cujo negativo de imagem foi preservado pelo cineasta. Os documentários Brincadeira dos Velhos Tempos? (1977) e Almas (1980) foram digitalizados a partir de fitas betacam identificadas pelas pesquisas do projeto, diante da não localização de seus negativos originais. Todos os filmes aqui apresentados estiveram parcialmente fora de circulação ao longo das últimas décadas, estando seu contato com o público restrito, durante esse tempo, a cópias em baixa qualidade disponibilizadas pela Internet e em DVDs graças aos esforços do próprio diretor, a registros documentais de suas exibições ou tão somente à memória daqueles(as) que puderam um dia os assistir. Nós do projeto Acervo Capixaba esperamos que a difusão dessas obras, bem como sua contextualização histórica e crítica, ofereça material para que pesquisadores(as), cineastas e o público em geral conheçam o trabalho deste importante realizador do cinema capixaba, cuja prolífica carreira se estende por mais de cinco décadas e cujas obras não cessam de impressionar, ainda hoje, por sua pertinência e relevância.
Acervo
Capixaba
Ramon
Alvarado
Gif animado. Trecho de negativo de imagem no qual Ramon Alvarado opera câmera cinematográfica. Imagem preto e branco. Fotógrafo(a) não identificado(a).
Coordenação e Produção Executiva
Vitor Graize
Pesquisa
Luana Cabral
Vitor Graize
Projeto Gráfico e Website
Werllen Castro
Ensaios
Juliano Gomes
Ramon Alvarado
Textos
Luana Cabral
Edição e revisão dos ensaios
Luana Cabral
Vitor Graize
Digitalização de imagens
Monica Nitz
Apoio
Secretaria de Estado da Cultura do Espírito Santo
Arquivo Público do Estado do Espírito Santo - APEES
Centro Técnico do Audiovisual - CTAv
Cinemateca do MAM/RJ
Agradecimentos
Afinal Filmes
ABC Serra
Cilmar Franceschetto
Edson Seretti
Hernani Heffner
Igor Andrade Pontes
Ivana de Araújo
Luiz Tadeu Teixeira
Maria Marta
Michel Caldeira de Souza
Paula Nunes Costa
Ramon Alvarado
Rosiane da Fonseca
Sérgio de Oliveira Dias
STIC/RJ
Tamina Batán
Tiago de Matos Alves
Realização
Apoio